Trump diz que pretende se reunir com Putin em breve

Washington, 20 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira que planeja se reunir com o governante russo, Vladimir Putin, "num futuro não muito distante", para falar sobre a "corrida armamentista" entre os dois países.

"Conversei por telefone com o presidente Putin e o parabenizei pela vitória eleitoral", afirmou Trump à imprensa no início da reunião com o príncipe herdeiro saudita, Mohammad bin Salman, na Casa Branca.

"A ligação teve a ver também com o fato de que provavelmente nos reuniremos num futuro não muito distante para que possamos falar sobre as armas, sobre a corrida armamentista", acrescentou o republicano.

Trump lembrou que "uma das primeiras declarações" feitas por Putin após a vitória eleitoral do último domingo foi que "estar em uma corrida armamentista não é algo muito bom".

"Essa corrida se está descontrolando. Nunca permitiremos que ninguém tenha nada próximo ao que nós temos. Também temos que falar sobre Ucrânia, Síria e Coreia do Norte, então acho que provavelmente verei o presidente Putin num futuro não muito distante", acrescentou Trump, sem dar detalhes de onde ocorreria essa reunião.

Em comunicado posterior, a Casa Branca garantiu que Trump e Putin "falaram sobre o estado das relações bilaterais e decidiram continuar o diálogo sobre desafios e prioridades mútuas de segurança nacional".

Trump "enfatizou a importância de desnuclearizar a península norte-coreana", e ambos os "confirmaram a necessidade de Estados Unidos e Rússia continuarem os esforços compartilhados para uma estabilidade estratégica", concluiu a Casa Branca.

O Kremlin já havia mencionado "a preparação de um possível encontro de alto nível" ao informar nesta terça-feira sobre a ligação telefônica entre Trump e Putin.

"Foi ressaltada a importância de coordenar os esforços para evitar uma corrida armamentista", indicou o governo russo em comunicado.

Ambos os presidentes abordaram assuntos da agenda bilateral e internacional, inclusive a necessidade de conseguir "urgentes avanços" na regulação dos conflitos na Síria e na Ucrânia, segundo o Kremlin.

"Os líderes se pronunciaram a favor do desenvolvimento de uma cooperação prática em diferentes esferas, o que inclui a necessidade de garantir a estabilidade estratégica e a luta contra o terrorismo internacional", afirma o comunicado.

Quanto à crise norte-coreana, Putin e Trump expressaram satisfação por "certa redução da tensão" ocorrida na península e consideraram conveniente prosseguir os esforços para solucionar o problema "por meios pacíficos e diplomáticos". EFE