ONG diz que 35 mil civis fugiram de Afrîn nos últimos 2 dias

Beirute, 16 mar (EFE).- Aproximadamente, 35 mil pessoas fugiram nas últimas 48 horas da cidade curdo-síria de Afrîn, alvo de uma ofensiva da Turquia, rumo à áreas controladas pelas forças governamentais sírias, de acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As pessoas chegaram aos povoados de Nubl e Zahraa, perto de Afrîn e que também fica na província de Aleppo. Enquanto isso, forças turcas e facções rebeldes continuaram avançando pela região de Afrîn e se aproximaram de Mabatali, cujos habitantes são majoritariamente curdos alauitas (credo que professa o presidente sírio, Bashar al-Assad).

Anteriormente, o Observatório tinha informado da morte de 27 pessoas, entre elas sete menores de idade, em bombardeios de aviões turcos contra a cidade de Afrîn. Os ataques tiveram como alvo civis que tentavam fugir da cidade que leva o nome da província homônima. Ontem à noite, mais de 2.500 pessoas escaparam de Afrîn em direção a Nubl e Zahraa, assim como outras áreas da província de Aleppo em poder das forças governamentais sírias.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou ontem que continuará com a operação militar, lançada em 20 de janeiro com o nome Ramo de Oliveira, até dominar toda a região, apesar do Parlamento Europeu ter aprovado no mesmo dia uma moção não vinculativa que pede a Ancara a retirada das tropas. EFE