EUA avisam na ONU que têm suas armas "carregadas" contra Assad

Nações Unidas, 14 abr (EFE).- Os Estados Unidos advertiram neste sábado na ONU que, se o regime de Bashar al Assad continuar usando armas químicas na Síria, estão preparados para manter a pressão e têm suas próprias armas "preparadas e carregadas".

"Estamos reparados para manter a pressão se o regime sírio for tão estúpido a ponto de pôr a toda prova nossa vontade", afirmou a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, durante uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Haley disse que com o ataque lançado nas últimas horas contra posições sírias pelos EUA, o Reino Unido e a França deu uma "mensagem clara" de que não se permitirá que o regime de Assad continue usando armas químicas.

A reunião do Conselho de Segurança foi convocada, a pedido da Rússia, após o ataque com mísseis contra instalações sírias que, segundo o Pentágono, participavam do programa de armas químicas do regime de Assad.

Esse ataque aconteceu uma semana depois do surgimento de denúncias sobre o suposto uso de produtos químicos durante um bombardeio na cidade de Duma, que as potências ocidentais acreditam que foi ordenado por Assad.

Em seu discurso, Haley garantiu que há "informação clara de que está demonstrada a culpabilidade de Assad" nesse suposto uso de armas químicas em Duma.

Por isso, as ações armadas empreendidas pelos Estados Unidos e seus aliados estão "justificadas, são legítimas e proporcionais".

Haley afirmou ainda que, com as ações militares das últimas horas, Estados Unidos, Reino Unido e França atacaram o "coração" das instalações sírias dedicadas à fabricação de armas químicas.

A embaixadora disse que hoje mesmo tinha falado com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e este disse "que, se o regime sírio usar esse gás venenoso de novo, os Estados Unidos têm suas armas preparadas e carregadas ".

"Quando o presidente desenha uma linha vermelha, ele faz com que seja cumprida", frisou Haley. EFE