França e Alemanha proporão em junho "roteiro" para refundar UE

Paris, 16 mar (EFE).- O presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, anunciaram nesta sexta-feira em Paris que proporão um roteiro "claro e ambicioso" no mês de junho para a "refundação" da União Europeia (UE).

Em uma declaração à imprensa após receber Merkel no Palácio do Eliseu, Macron disse que é "indispensável" que construam juntos esta "nova ambição sobre a união econômica e monetária - especialmente da zona do euro -, sobre imigração, defesa e comércio, mas também sobre pesquisa e educação".

"Proporemos um roteiro claro e ambicioso para esta refundação daqui até o mês de junho", declarou Macron em alusão ao Conselho Europeu que será realizado esse mês.

Macron destacou que os trabalhos para reformar a UE acontecem "em um contexto europeu muito conturbado" após o "Brexit" e as eleições italianas, que, com a ascensão do extremismo, permitiram "tirar conclusões sobre as dificuldades econômicas e os desafios migratórios que não pudemos resolver".

"Durante muitos anos, a Alemanha esperou que a França fizesse suas reformas. E a França as fez. Durante anos a Europa esperou que a dupla franco-alemã avançasse. E agora estamos prontos", ressaltou o presidente francês.

Por sua parte, Merkel, que realiza em Paris sua primeira viagem ao exterior após ser reeleita chanceler, reconheceu que seu acordo de coalizão com os social-democratas tem como fundamento a reforma comunitária e que também é uma resposta à França, "que fez propostas e reformas internas".

"Não temos sempre a mesma opinião, mas a França e a Alemanha sempre fizeram muito juntas", afirmou Merkel, que pediu que se lance propostas na união econômica e monetária "para o restabelecimento durável do euro e a melhoria da nossa competitividade internacional, baseada na inovação".

Também pediu que se trabalhe sobre as políticas de asilo, para alcançar uma solução daqui até junho, já que, "enquanto houver regras diferentes em cada país, não chegaremos a nada".

Com esse objetivo, Merkel anunciou que será realizado um conselho de ministros reduzido entre os governos francês e alemão para preparar o Conselho Europeu do próximo mês de junho. EFE