Ataque rebelde no sul do Sudão mata 40 civis, segundo autoridades

Cartum, 16 mar (EFE).- Pelo menos 40 civis morreram e outros 45 ficaram feridos em uma ofensiva lançada por um grupo rebelde contra várias zonas do conflituoso estado de Cordofão do Sul, no sul do Sudão, informou nesta segunda-feira o governador dessa região.

O governador de Cordofão do Sul, Adam al Falaki, disse aos jornalistas que o rebelde Movimento Popular para a Libertação do Sudão/Setor Norte (MPLS-N) atacou nos últimos dias a cidade de Kalugui e as zonas de Tusy e Al Rahmaniya.

A ofensiva causou a destruição de centenas de casas e o deslocamento de cinco mil pessoas, das quais a maioria fugiu para a cidade de Abu Yabiha, acrescentou.

Al Falaki explicou também que as forças governamentais "tomaram o controle total" das zonas atacadas e trabalham atualmente para que os deslocados voltem a seus lares.

Segundo Yahiba, este ataque pretende dificultar as próximas eleições presidenciais e legislativas que serão realizadas nos dias 13, 14 e 15 de abril.

Por sua vez, o porta-voz do Exército sudanês, Al Sauarmi Khaled Saad, anunciou que as forças armadas repeliram na quinta-feira passada uma agressão dos rebeldes em Kalugui e mataram "um grande número" deles, embora não tenha revelado dados.

Segundo o MPLS-N, esta ofensiva tinha por objetivo apoiar os grupos políticos opositores que pedem a renúncia do presidente sudanês, Omar Hassan al Bashir.

O porta-voz dos rebeldes, Arnu Niqotlu Ludi, precisou que suas forças mataram mais de 50 soldados sudaneses nesse ataque e se apropriaram de um arsenal de armas e de munição.

As autoridades e os rebeldes que querem derrubar o regime de Al Bashir, incluído o MPLS-N, se enfrentam há três anos nos estados de Darfur, Cordofão do Sul e Nilo Azul, e mantiveram sem sucesso até o momento várias rodadas de negociações para tentar chegar a uma solução. EFE