Obra do chinês Ai Weiwei reproduz barco com 258 refugiados em Praga

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um imenso bote inflável com 258 figuras humanas exposto a partir desta sexta-feira (17) escancara o sofrimento dos refugiados que buscam asilo na Europa.

A instalação é do ativista e artista dissidente chinês Ai Weiwei, 59, e ficará na Galeria Nacional de Praga, na República Tcheca, até janeiro do ano que vem.

Com 70 metros de comprimento, a obra "Law of the Journey" (algo como a lei da jornada) é a de maior tamanho já feita pelo artista.

Ele afirmou que o trabalho foi inspirado em sua experiência pessoal na ilha de Lesbos, na Grécia, onde um bote parcialmente afundado foi encontrado.

O chinês quis ficar sozinho ali para tentar sentir o mesmo que sentem os refugiados. No barco, achou uma mamadeira e uma Bíblica, contou.

Em 2015, ele foi premiado pela Anistia Internacional, que reconheceu sua "liderança excepcional na luta pelos direitos humanos, em sua vida e obra".