Obra de Banksy será fracionada em 10 mil NFTs

·3 min de leitura
Particle revelou na quarta-feira (1º) que sua primeira aquisição é Love Is in the Air (2005), de Banksy, que a equipe adquiriu por US$ 12,9 milhões (R$ 72,9 milhões) em um leilão (Reprodução / Particle) (Reprodução / Particle)
  • Obra do artista britânico foi comprada por startup, que vai transformar item em NFT

  • Serão 10 mil frações do quadro, que poderão ser comprados a partir de janeiro por R$ 8,4 mil

  • Particle, companhia que recebeu mais de R$ 84 mi, quer criar um museu no metaverso

“Eu sempre quis ter uma arte, mesmo quando não tinha absolutamente nenhum dinheiro - gostaria de ter pelo menos uma pequena participação nas pinturas de que gostava.” Assim disse Loïc Gouzer, o ex-chefe de arte contemporânea da Christie's e cofundador da Particle, uma nova empresa NFT que visa fracionar a propriedade de obras de arte tradicionais, convertendo-as em conjuntos de NFTs chamados Partículas, permitindo potencialmente milhares de pessoas para compartilhar a propriedade de certas obras.

Leia também

Depois de receber US$ 15 milhões (R$ 84 milhões) em financiamento inicial de uma empresa de capital de risco e anunciar sua presença como empresa no verão passado, esse desejo agora é uma realidade.

A Particle revelou na quarta-feira (1º) que sua primeira aquisição é Love Is in the Air (2005), de Banksy, que a equipe adquiriu por US$ 12,9 milhões (R$ 72,9 milhões) em um leilão. O trabalho foi segmentado em 10.000 NFTs, cada um representando uma seção única da pintura.

A oferta inicial de Love Is in the Air começará em 10 de janeiro e vai até 14 de janeiro, permitindo aos colecionadores a chance de comprar uma partícula da obra por cerca de US$ 1.500 (R$ 8450). Após a oferta inicial, as partículas entrarão no mercado secundário em plataformas NFT e não há como dizer como elas podem mudar de valor.

A versão física de Love Is in the Air será entregue à Particle Foundation, o braço sem fins lucrativos da empresa que manterá, preservará e fará um tour pela obra para que os colecionadores possam ver as peças que podem reivindicar por direito.

Ideia da empresa é criar um meta museu

Royalties recebidos na revenda de Partículas (como todos os NFTs, Partículas são anexados a um contrato inteligente que garante que uma parte do valor de revenda seja devolvida ao criador do NFT) serão parcialmente usados ​​para financiar a Particle Foundation. E a fundação também reterá 1% de Love Is in the Air para agir, como um comunicado de imprensa explica, "como um fragmento de proteção e garantir que ninguém possa imaginar reivindicar a posse da pintura física."

Com as complicações intrínsecas ao fato de que cada partícula irá flutuar em valor através de uma vasta e mutável base de coletores, seria extremamente complicado tentar vender o trabalho físico. Para fazer uma comparação: para uma empresa como a Rally, que fraciona a propriedade de itens colecionáveis ​​de uma forma mais tradicional, a venda de um objeto ou obra inteira é a única maneira de os colecionadores verem o retorno do seu investimento.

No caso do Particle, o potencial de retorno do investimento não é uma decisão coletiva, mas algo imediato e individual a ser realizado em plataformas NFT secundárias. A desvantagem disso é que cada investidor deve assumir a responsabilidade de comercializar e vender seus ativos no volátil mercado de NFT.

Juntos, Particle e a Particle Foundation declararam ambições de criar uma espécie de meta museu, combinando a administração de instituições tradicionais com a exclusividade de uma coleção privada e os retornos e riscos relacionados ao mercado digital raivoso que é o comércio NFT. A visão da empresa é altamente dependente de sua própria capacidade de suportar os desafios desta matriz complicada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos