Observadores: campanha para referendo na Turquia não foi equitativa

Apoiadores do "não" no referendo protestam em Istambul em 16 de abril de 2017

A campanha para o referendo constitucional da Turquia, que fortalece os poderes do presidente Recep Tayyip Erdogan, não foi equitativa, indicou nesta segunda-feira uma missão conjunta de observadores da Organização de Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e Conselho da Europa.

"Os campos do 'sim' e do 'não' não tiveram as mesmas oportunidades", declarou Cezar Florin Preda, integrante da missão de observação.

"Modificações tardias no procedimento da votação suprimiram importantes garantias", acrescentou.

Ela se referia à decisão do Alto Conselho Eleitoral (YSK) de validar os votos que não estavam marcados com um selo oficial.