Obstrução intestinal: Bolsonaro não passará por nova cirurgia, define médico responsável

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil
Reprodução/Twitter/Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro está internado no hospital Vila Nova Star, em São Paulo (Foto: Reprodução/Twitter/Jair Bolsonaro)
  • Médico de Bolsonaro, Antônio Macedo, descarta necessidade de nova cirurgia

  • Presidente está sendo tratado com medicamentos e está com sonda nasogástrica para ser alimentado

  • Jair Bolsonaro está internado no hospital Vila Nova Star desde a madrugada de segunda-feira (3)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) não passará por uma nova cirurgia. Essa é a decisão tomada por Antônio Macedo, médico responsável pelo tratamento do presidente. A informação foi revelada pela jornalista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

O tratamento de Bolsonaro será clínico. Segundo o jornal, o presidente está reagindo bem aos medicamentos e a conclusão da equipe médica é que não seria necessário submetê-lo a uma nova intervenção cirúrgica. A decisão foi tomada após a chegada de Macedo ao país e repassada por Macedo aos colegas que integram e equipe, mas ainda não foi comunicada de forma oficial.

Macedo passava as férias nas Bahamas. Ele pegou um voo privativo para voltar ao Brasil e acompanhar o presidente da República.

Segundo novo boletim médico, divulgado pelo hospital Vila Nova Star, onde Bolsonaro está internado, o quadro de suboclusão intestinal se desfez e, por isso, não há indicação cirúrgica. "A evolução do paciente clínica e laboratorialmente segue satisfatória e será iniciada hoje uma dieta líquida. Ainda não há previsão de alta", explicaram os médicos.

Jair Bolsonaro está internado no hospital Vila Nova Star, em São Paulo, desde a madrugada do dia 3 de janeiro, quando interrompeu as férias em Santa Catarina, com dores abdominais. O presidente tem uma obstrução intestinal.

O tratamento de Bolsonaro está sendo feito com antibióticos e a alimentação é feita através de uma sonda nasogástrica. O presidente usou as redes sociais para relatar que começou a sentir dores abdominais após o almoço do último domingo (2). Após os primeiros sintomas, Bolsonaro foi levado para São Paulo.

“É a segunda internação com os mesmos sintomas, como consequência da facada e 4 grandes cirurgias”, escreveu Bolsonaro nas redes sociais na última segunda-feira. O presidente foi observado pela equipe médica até a chegada de Antônio Macedo. Ainda não há previsão de alta. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos