Ocupação de UTIs supera 70% e SP deve endurecer quarentena na capital na sexta

Ana Letícia Leão e Dimitrius Dantas
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO — Com 70% dos leitos de UTI para Covid ocupados, um dos critérios necessários para o endurecimento da quarentena, o governo de São Paulo anunciou que fará uma nova reclassificação do plano de flexibilização das atividades econômicas nesta sexta-feira. A Grande São Paulo superou o índice no último domingo e as internações continuam aumentando na região.

Segundo os critérios utilizados pelo governo, a ocupação acima de 70% é um dos critérios para que a quarentena seja endurecida para a fase laranja. Atualmente, a região da Grande São Paulo está na fase amarela, menos rígida.

O governo de São Paulo iniciou a vacinação contra a Covid-19 no último dia 17, logo após a autorização, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para o uso emergencial da CoronaVac, a vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

A decisão ocorre em meio ao início da vacinação no país. Segundo o governo estadual, até a manhã desta quarta-feira, 15.446 já foram vacinadas no estado.

Nesta terça-feira, o diretor do Butantan, Dimas Covas, cobrou que o presidente Jair Bolsonaro tenha 'dignidade para defender a vacina CoronaVac' para viabilizar a chegada de insumos da China necessários para dar continuidade à produção da CoronaVac no país. Caso o insumo não chegue, a produção do Instituto Butantan, que tem capacidade de 1 milhão de doses por dia, pode ser interrompida.

Até o momento, a CoronaVac é a única vacina sendo aplicada no país. O governo federal também tenta acelerar a chegada de 2 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca. O lote virá do Instituto Serum, da Índia, mas ainda não há previsão para seu envio.