Odair valoriza reação do Fluminense: 'Merecíamos ter passado'

Marcello Neves

Foram dois gols sofridos em apenas oito minutos de jogo que acabaram custando caro para o Fluminense. A avaliação de Odair Hellmann é que os erros cometidos pela equipe tricolor no primeiro tempo acabaram sendo decisivos na derrota por 3 a 2, ontem, no Maracanã, mas o treinador defendeu a força mental dos jogadores no momento de instabilidade ao mesmo tempo que lamentou as falhas individuais do sistema defensivo:

- Não fizemos um bom primeiro tempo. Cometemos erros em bola parada e outro de uma saída de bola nossa e isso custou caro. Toma dois gols no começo, desestabiliza e arrisca tomar mais gols. São situações que acontecem dentro de uma equipe que está entrosada como o Flamengo, imagina para uma equipe cujo trabalho está começando agora. Esses erros comprometeram bastante. Até nos reorganizarmos no segundo tempo. Não conseguíamos fazer a construção lá de trás e nem alongar o jogo. Tivemos bastante dificuldade, mas as dificuldades aconteceram muito mais pelos gols terem saído muito cedo. No segundo tempo, o Evanilson tem uma oportunidade clara de antes tomarmos o terceiro e antes de tomarmos o terceiro temos chance de outra finalização - declarou.

Odair também valorizou a reação da equipe no segundo tempo devido as circunstância. As mudanças principais de postura da equipe foram a conversa no vestiário e a ideia de forçar a marcação em cima dos zagueiros. A entrada de Fernando Pacheco mudou a partida neste quesito. O treinador também acredita que o Fluminense produziu mais que o Flamengo no momento de superioridade na partida.

- Agora preciso falar das coisas excelentes, que foi o poder de reação muito grande. Grupo de jogadores que pega um rival que tem o melhor time dos últimos 30 anos, e tem capacidade e espírito de comportamento para trabalhar essas situações, achar espaços entre os zagueiros. A partir do momento que entrou a primeira, nós começamos e pressionar o Flamengo. Fizemos o 3 a 1, o 3 a 2, o 3 a 3, o 4 a 3, não valeu, mas fizemos. Produzimos até mais que o Flamengo no primeiro tempo. O Flamengo produziu muito no primeiro tempo e produzimos muito no segundo tempo. O Flamengo acabou até fazendo cera. O importante de tudo isso é visualizar que não podemos dar essas oportunidades a um adversário com tanta qualidade. Você não sai de um clássico sendo aplaudido pela torcida assim. Não gostamos de derrota. Por todos os 98 minutos, nós merecíamos ter passado - afirmou.

O técnico do Fluminense também explicou o princípio de confusão que teve com Gabigol e Jorge Jesus à beira do gramado. Odair chegou a trocar farpas com o português após o segundo gol marcado pela equipe tricolor, mas a situação logo foi resolvido.

- Não discutimos. O árbitro estava vendo uma situação no VAR, o Gabriel veio para mim e disse: “Se acalma, ele está vendo”. Eu disse: “Para você é fácil, que tá ganhando o jogo”. E aí o Jesus veio achando que havia algo. Só isso".