Ofensiva militar 'conjunta' da Etiópia e Eritreia contra Tigré, segundo rebeldes

Forças etíopes e eritreias lançaram uma ofensiva "conjunta" contra áreas do Tigré na fronteira com a Eritreia na manhã desta quinta-feira, desencadeando uma "guerra total", segundo autoridades desta região rebelde do norte da Etiópia.

A Etiópia, "depois de reposicionar uma força militar maciça na Eritreia, lançou uma ofensiva conjunta com as forças invasoras da Eritreia" contra o norte do Tigré, na fronteira com a Eritreia, anunciou o comando das forças rebeldes em comunicado.

A AFP não conseguiu verificar esta afirmação com fontes independentes. Os jornalistas não têm acesso ao norte da Etiópia, impossibilitando a verificação independente, e as redes de telecomunicações operam de forma aleatória.

O governo etíope não respondeu imediatamente às perguntas da AFP.

"O inimigo, tendo rejeitado todas as ofertas de paz, desdobrou importantes forças regulares e irregulares, aliando-se a uma força estrangeira (...) iniciou uma guerra total", acusa ainda o comando das forças rebeldes.

Os rebeldes alegam ainda que o exército federal etíope, como no dia anterior, realizou "repetidas tentativas de avanço" na quinta-feira ao sul do Tigré, na região vizinha de Amhara, onde soldados etíopes são apoiados por forças regionais e milícias locais.

Após uma trégua de cinco meses, os combates foram retomados em 24 de agosto na ponta sudeste do Tigré, entre o governo federal etíope e as autoridades rebeldes no Tigré, em conflito desde novembro de 2020 e que se acusam mutuamente de ter desencadeado essas novas hostilidades.

Os rebeldes anunciaram recentemente que lançaram uma "contraofensiva" ao sul do Tigré, depois de "defender suas posições". Na segunda-feira, eles avançaram cerca de cinquenta quilômetros na região de Amhara, segundo fontes concordantes.

ayv/sva/blb/mab/zm/aa