Oficiais chineses são indiciados nos EUA por ciberataque a agência de crédito

(Arquivo) O procurador-geral americano, Bill Barr

Quatro oficiais chineses foram acusados nos Estados Unidos de hackearem dados pessoais da agência de crédito americana Equifax - anunciou o procurador-geral americano, Bill Barr, nesta segunda-feira (10).

Trata-se de "um dos maiores roubo de dados da história", com cerca de 145 milhões de vítimas nos Estados Unidos no início de setembro de 2017, ressaltou o secretário em entrevista coletiva.

"Lembramos o governo chinês de que temos a capacidade de erguer o véu do anonimato que cobre a Internet e encontrar os hackers que o país usa, regularmente, contra nós", acrescentou Bill Barr.

Wu Zhiyong, Wang Qian, Xu Ke e Liu Lei, membros de uma unidade de pesquisa do Exército chinês, foram indiciados na semana passada em Atlanta por conspiração criminosa para cometer fraude informática, espionagem econômica e fraude de comunicações.

Eles são acusados de terem explorado uma falha no software usado pela Equifax, cuja função é coletar dados pessoais de consumidores que solicitam crédito.

Segundo o Departamento americano de Justiça, eles obtiveram nomes, datas de nascimento e números de Previdência Social de quase metade dos americanos.

Em julho, a agência Equifax aceitou pagar pelo menos US$ 575 milhões para resolver várias investigações relacionadas a esse ataque, o que levou à renúncia do CEO do grupo, Richard Smith.