Oito homens condenados por roubo no Irã podem ter os dedos amputados

Oito homens condenados por roubo no Irã podem ter os dedos amputados como parte de sua condenação, alertaram duas organizações dos direitos humanos nesta sexta-feira. Detidos em uma prisão nas redondezas de Teerã, eles foram convocados na quarta-feira para um outro presídio, onde ocorreria a amputação, mas foi adiada por razões desconhecidas, indicou o centro Abdorrahman Boroumand (ABC), que defende os direitos humanos no Irã, e a Rede de Direitos Humanos do Curdistão (KHRN).

As duas organizações afirmam estar "especialmente preocupadas com os relatórios credíveis de que um dispositivo recentemente instalado em uma sala da clínica da prisão de Evin, em Teerã, foi usado para realizar ao menos uma amputação nos últimos dias".

Irã, um país signatário do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos (PIDCP), deve se abster da "tortura" e de "tratamentos ou penas cruéis, desumanas ou degradantes (artigo 7), como a amputação das mãos", indica o comunicado.

Segundo o ABC, com sede em Washington, desde a Revolução Islâmica em 1979 houve ao menos 356 sentenças de amputação, embora provavelmente o total seja muito maior.

O código penal do Irã, baseado na "sharia"', a lei islâmica, prevê a amputação para crimes como roubo com reincidência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos