Olímpiada de Tóquio teve 30 duplas de gêmeos atletas, incluindo brasileiras do rugby

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Possivelmente quem varou a madrugada para assistir à Olimpíada de Tóquio achou que estava vendo coisas por conta do sono. Como assim, dois atletas iguais na mesma equipe? Ou pior, concorrendo entre si? A cullpa não foi do fuso. Mas da explosão de irmãos gêmeos nestes jogos. Pelo menos 30 duplas de atletas participaram das competições em diversas modalidades.

Thalia e Thalita Costa

Inclusive uma dupla brasileira. As irmãs Thalia e Thalita Costa, do rugby. Não chegam a ser idênticas, mas são extremamente parecidas. As maranhenses não seguiram na competição, mas fazem bonito no time brasileiro de um esporte ainda pouco difundido por aqui.

Jennifer e Jessica Gadirova

Os jovens de 16 anosajudaram a equipe da Grã-Bretranha a ganhar a segunda medalha olímpica de ginástica após 1928, quando conquistaram o bronze no evento da última terça-feira.

Adam e Simon Yates

Os ciclistas da Grã-Bretanha se diferenciam por alguns sinais no rosto. Enquanto os dentes da frente de Adam são retos, os de Simon são angulares. Adam também tem uma cicatriz no queixo, enquanto Adam não.

Pat e Luke McCormack

Em 2016, Pat esteve competindo nos Jogos do Rio. Agora, os dois irmãos lutadores de boxe pela Grã-Bretanha estão juntos no Japão.

Laura e Charlotte Tremble

As francesas vão competir juntas no nado sincronizado, onde todas as participantes já se parecem por conta da maquiagem, cabelo e da água, claro.

Sanne e Lieke Wevers

Sanne foi medalhista de ouro no Rio, em 2016, na trave. Desta vez, a dupla competiu junta em Tóquio, mas sem repetir o feito de cinco anos atrás.

Dina e Arina Averina

Tão parecidas que chega a dar um nó na cabeça de quem as vê competindo na ginástica ritmica pela Rússia. Esta é a primeira olimpíada das gêmeas de 22 anos.

Asia e Alice D'Amato

As gêmeas italianas da ginástica chegaram como algumas das favoritas aos Jogos, depois de ganharem o ouro no Campeonato Mundial em 2019. E por pouco não subiram ao pódio. A Itália ficou em quarto lugar no geral.

Olga e Evgeniia Frolkina

As irmãs russas garantiram a prata para a Rússia no basquete feminino 3x3, perdendo apenas para os Estados Unidos, chegando ao pódio em sua primeira Olimpíada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos