"Olhar Indiscreto": voyerismo perde espaço para thriller em série erótica

Débora Nascimento e Emanuelle Araújo são as protagonistas do novo projeto nacional da Netflix

Débora Nascimento vive Miranda na minissérie
Débora Nascimento vive Miranda na minissérie "Olhar Indiscreto". (Fotos: Divulgação/Netflix)

Olhar Indiscreto” chegou à Netflix prometendo esquentar a noite de Ano Novo dos assinantes com uma trama picante focada em voyeurismo. O problema é que o erotismo dividiu espaço com um mistério nada envolvente e perdeu força.

Criada pela argentina Marcela Citterio, a obra apresenta a história de Miranda (Débora Nascimento), uma hacker que sente prazer em observar a vida sexual dos outros. Quando Cléo (Emanuelle Araújo), uma acompanhante de luxo, se muda para o prédio em frente, ela passa a observar a vizinha todos os dias.

Em meio a isso, as duas desenvolvem uma amizade e Miranda acaba totalmente envolvida em uma trama de segredos envolvendo uma família muito rica. Sem saber em quem pode confiar, ela usa suas habilidades para encontrar a vizinha e acaba colocando a própria vida em perigo.

Um olhar sensível

Pôster oficial da minissérie
Pôster oficial da minissérie "Olhar Indiscreto". (Foto: Aline Arruda/Netflix)

A minissérie destaca mulheres na frente e atrás das câmeras. Essa equipe majoritariamente feminina, composta pela diretora geral Luciana Oliveira e pelas diretoras de episódios Fabrizia Pinto e Letícia Veiga, teve sensibilidade ao longo de todo projeto.

Mesmo nas cenas de sexo, BDSM e sadomasoquismo, é notável o cuidado para não expor as protagonistas de forma desnecessária e em retratar os temas com muita naturalidade - mérito também da coordenadora de intimidade, Barbara Harrington.

Mistérios roubam o foco

A plataforma de streaming promoveu a minissérie em cima do hábito voyeur da protagonista, do fetichismo e das cenas picantes, chegando até a divulgar a minutagem desses momentos em cada episódio. Mas quando você dá play na série e escuta o tradicional "tudum", percebe rapidamente que esse não é realmente o foco da história.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A trama aborda os temas sem tabu, com maior êxito que "Verdades Secretas 2", mas o texto não se sustenta além do erotismo, como "Elite" consegue fazer. Desse modo, as boas atuações de Débora Nascimento, Débora Duarte, Emanuelle Araújo e Tânia Alves não salvam o texto desconexo e “mal costurado”.

Logo após seu primeiro episódio, a história se desprende da premissa erótica e se volta para o thriller. A partir disso, o roteiro se empenha em te surpreender com diversos assassinatos, revelações bombásticas, emboscadas, intrigas familiares, casais repentinos e flashbacks.

"Olhar Indiscreto" poderia se tornar um dos grandes sucessos da Netflix, mas acaba desperdiçando seu potencial para tentar chocar o telespectador. Mesmo misturando o mistério com a sensualidade, a minissérie se perde em uma trama sem substância e profundidade necessárias para cumprir seu objetivo.