De olho na Rússia, Senado dos EUA aprova entrada de Finlândia e Suécia na Otan

Bandeiras da Finlândia, da Suécia e da Otan em Bruxelas

Por Patricia Zengerle

WASHINGTON (Reuters) - O Senado dos Estados Unidos aprovou, nesta quarta-feira, a adesão de Finlândia e Suécia à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), a mais importante expansão da aliança militar desde os anos 1990, em resposta à invasão da Rússia à Ucrânia.

Os senadores aprovaram a medida por 95 votos a 1, superando com extrema folga a maioria de dois terços (67 votos) exigida para apoiar a ratificação dos documentos de adesão dos dois países à aliança, que conta com armas nucleares e é liderada pelos EUA.

Finlândia e Suécia requisitaram entrada na Otan em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia, que alertou várias vezes contra a adesão de ambos à aliança.

Os 30 aliados da Otan assinaram o protocolo de adesão dos novos membros no mês passado, o que permite que eles se juntem à aliança assim que os países-membros ratificarem a decisão.

A adesão precisa ser ratificada pelos Parlamentos de todos os 30 membros da Otan para que Finlândia e Suécia possam ser protegidas pela cláusula de defesa, que diz que um ataque contra um aliado é um ataque contra todos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos