De olho na reeleição, Marcello Crivella minimiza pesquisas ao votar na Barra

Livia Neder
·2 minuto de leitura
Domingos Peixoto / Agência O Globo
Domingos Peixoto / Agência O Globo

RIO — Personagem central da eleição carioca, o prefeito Marcelo Crivella (PR) votou na escola municipal Sérgio Buarque de Holanda, na Barra, na manhã deste domingo. Acompanhado da sua esposa, a primeira dama Sylvia Jane, ele chegou na sessão às 8h50.

De olho na reeleição, mesmo aparecendo em segundo lugar, com 18% de intenções de votos, na pesquisa Datafolha, e líder em rejeição em todas as sondagens, desde o início da campanha eleitoral, minimizou as pesquisas e destacou que no segundo turno é uma nova eleição.

Confiante que estará no segundo turno, Crivella disse que as pesquisas de rejeição não refletem a realidade porque cerca da metade dos eleitores não comparece, ou vota em branco ou nulo. Ele destacou o apoio que vem recebendo do presidente Jair Bolsonaro, que também vota no Rio, e será acompanhado pela candidata a vice-prefeita Andréa Firmo.

— O povo do Rio de Janeiro precisa exercer sua cidadania. O presidente mora em Brasília e veio ao Rio para votar no Crivella. Tenho muita confiança no meu trabalho e na minha luta. Não foi ideal porque peguei a prefeitura com muitas dúvidas, mas vamos estar no segundo turno. As pesquisas já erraram muito. Ilude-se o candidato que vai para o segundo turno na frente achando que já ganhou. Fui com o Pezão com 15 pontos na frente e perdi — lembrou.

Ao longo do dia, o prefeito vai percorrer a cidade para cumprimentar eleitores:

— Minha vice vai votar com o presidente. Se der vou encontrá-lo em algum momento, mas não quero incomodar. Essa é a oitava eleição que participo e farei o que faço sempre. Durante o dia saio para agradecer as pessoas, à noite vou à igreja. Depois, acompanho a apuração no comitê do partido.

Durante a votação, Crivella recebeu apoio de alguns eleitores e foi hostilizado por outros em sua sessão eleitoral, que gritaram "fora Crivella" e fizeram pedidos de cirurgia de catarata.

— Quando subi tinha um rapaz bravo, mas encontrei uma senhora de 78 anos, que não precisava mais votar, mas disse que veio para me prestar essa homenagem. É a democracia.

Projetando alianças para o segundo turno, Crivella disse que o candidato Luiz Lima (PSL) será o primeiro a ser procurado:

— O presidente foi muito corojaso em me apoiar no primeiro turno com outros candidatos de partidos da sua base. Não quero antevipar o resultado, mas, se as previsões se confirmaram, indo para o segundo turno o primeiro candidato que vou procurar será o Luiz Lima, que é conservador como eu.