Oligarca russo Abramovich transferiu bens aos filhos para evitar sanções, diz jornal

O oligarca russo Roman Abramovich tentou proteger sua fortuna transferindo bilhões de dólares a seus filhos pouco antes de ser alvo de sanções em represália pela invasão russa da Ucrânia, segundo uma reportagem publicada pelo jornal britânico The Guardian nesta sexta-feira (6).

Segundo documentos obtidos pelo jornal, "no início de fevereiro de 2022", poucas semanas antes da invasão da Ucrânia, dez trustes em benefício de Abramovich foram rapidamente reorganizados.

"Essas modificações tornaram os sete filhos de Abramovich, o menor deles de 9 anos, beneficiários de ativos depositados nestes trustes pelo valor de ao menos 4 bilhões de dólares", acrescentou o jornal, que detalha que a reorganização não foi ilegal.

Esses ativos incluem imóveis, iates, helicópteros e jatos privados.

Agora, seria difícil para as autoridades embargá-los ou congelá-los, já que os filhos do oligarca, ex-proprietário do clube inglês de futebol Chelsea, não estão afetados pelas sanções, mas poderiam tentar demonstrar que o bilionário é quem realmente controla esses ativos.

Os documentos obtidos pelo Guardian procederiam de um ataque cibernético contra uma instituição financeira que administra os trustes de Abramovich no Chipre, segundo a publicação.

A União Europeia e o Reino Unido incluíram o oligarca na lista de pessoas sancionadas por sua proximidade com o regime de Moscou em março de 2022.

Mas não foi sancionado pelos Estados Unidos, o que gerou fortes críticas do opositor do Kremlin Alexei Navalny, atualmente na prisão, assinalando que algumas de suas empresas "continuam fornecendo metal ao Ministério da Defesa russo".

Em junho, os Estados Unidos apreenderam dois aviões pertencentes a Abramovich sob a suspeita de que haviam sido utilizados em violação das sanções impostas a seu país.

Em setembro, o oligarca teria desempenhado um papel na libertação de cinco britânicos capturados na Ucrânia, segundo o testemunho de um deles, que disse que Abramovich estava presente no avião em que saíram da Rússia.

mhc-acc/sag/rpr/am