Olimpíada: Vila olímpica de Tóquio é aberta a atletas; brasileiros chegam a partir de quinta-feira

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

TÓQUIO — A vila olímpica de Tóquio foi aberta nesta terça-feira. As acomodações têm capacidade para receber 18 mil atletas que participarão do megaevento. Representantes de mais de 200 países usarão as instalações durante os Jogos, que começam no dia 23 de julho e vão até 8 de agosto. Os primeiros brasileiros se hospedam a partir da próxima quinta-feira no local. Já há 30 atletas do Brasil em solo japonês, que estão nas bases de aclimatação como Hamamatsu, Ota, Sagamihara.

Olimpíada: Brasil tem 75% dos atletas vacinados; alguns esportistasrecusaram

Por enquanto, apenas o chefe de missão da equipe nacional, Marco Antônio La Porta, que também é vice-presidente do COB (Comitê Olímpico do Brasil), está no prédio reservado à delegação brasileira. Cerca de 80% dos mais de 300 atletas do Brasil ficarão hospedados na vila olímpica, com exceção daqueles que disputam o futebol masculino e feminino e os de esportes que envolvem natureza, como surfe e vela.

Há um tempo limite para permanecer nas instalações. Os atletas poderão entrar apenas cinco dias antes de iniciarem suas provas e terão de deixá-las em até 48 horas após o término das mesmas.

A vila olímpica foi construída em uma área retangular recuperada do mar e possui 21 edifícios com dezenas de andares. Ela será usada também nos Jogos Paralímpicos. Após os megaeventos, o local será um bairro residencial de luxo. O adiamento por um ano dos Jogos foi um problema, pois 900 apartamentos já haviam sido vendidos.

Segundo La Porta, na maior parte da competição, os atletas brasileiros serão acomodados individualmente nos quartos, para evitar aglomerações. A exceção ocorrerá quando as equipes de atletismo e natação chegarem, pois são em maior número. A maioria das acomodações têm cerca de 9m² e feitas com paredes provisórias de papelão reciclado, para facilitar a transformação dos quartos em apartamentos de luxo após as competições.

Algumas adaptações precisaram ser feitas por causa da pandemia. Durante os Jogos, os atletas terão que fazer testes de Covid-19 diariamente, andar pela vila olímpica de máscara o tempo todo e não poderão fazer consumo de álcool em grupo ou em áreas comuns. Os organizadores da Olimpíada desenvolveram um aplicativo que mostra, em tempo real, a taxa de ocupação das áreas em comum, para evitar aglomerações.

A vila olímpica possui um refeitório com 3 mil lugares sentados, divididos por telas de acrílico, e distribuídos em dois andares. No cardápio, as opções são variadas, entre cozinha japonesa, "asiática", ou "mundial", pratos dietéticos, vegetarianos e sem glúten. Há também uma academia com mais de 600 aparelhos, todos com telas de acrílico também.

Há 17 ônibus autônomos (sem motorista) que circulam 24 horas por dia dentro da vila e que ajudam os atletas a se deslocarem com mais rapidez. As poltronas são equipadas com revestimento antivírus, e há um operador humano a bordo para o caso de problemas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos