Omar Aziz é eleito presidente da CPI da Covid e Randolfe como vice

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
CPI COVID
CPI COVID
  • Senado instalou hoje a CPI da Covid para investigar atuação do governo na pandemia.

  • Na 1ª reunião, os membros da comissão elegeram o presidente e o vice-presidente.

  • Apesar de decisão judicial, presidente indicou Renan Calheiro como relator da CPI.

Senado instalou nesta terça-feira (27) a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid para investigar as ações e omissões do governo federal na condução da pandemia do coronavírus e o repasse de recursos federais na área da saúde a estados e municípios.

Nesta primeira reunião, os membros da comissão elegeram os senadores Omar Aziz (PSD-AM) como presidente e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) para a vice-presidência. 

Leia também

Omar Aziz teve oito votos contra três votos para senador Eduardo Girão (Podemos-CE), nome escolhido pela base aliado de Jair Bolsonaro. O governo contava ter quatro votos para Girão.

"Essa CPI não pode servir para se vingar de absolutamente ninguém. Essa CPI tem que fazer justiça a milhares de órfãos que a covid está deixando", afirmou Aziz, em seu primeiro discurso.

Indicação do relator

Aziz já anunciou a escolha de Renan Calheiros (MDB-AL) como o relator.

O presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região suspendeu hoje a decisão da Justiça Federal do Distrito Federal que impedia Renan Calheiros (MDB-AL) de assumir a relatoria da CPI da Covid.

O Senado já havia sinalizado que não ia acatar a decisão da Justiça do DF. Parlamentares consideram que a decisão não tem embasamento jurídico por citar uma regra inexistente no regimento interno sobre a indicação no colegiado (a eleição do relator). A tese é apoiada pelo presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a quem a decisão determina barrar Renan. Após a formação da comissão, porém, não caberia mais a Pacheco interferir nos trabalhos.

A Mesa Diretora da Casa e o MDB recorreram da decisão liminar.

Confira quem são os 11 senadores titulares.

CPI da Covid no Senado
CPI da Covid no Senado (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Início dos trabalhos

O foco inicial da comissão será questionar falhas na aquisição de vacinas pelo governo federal e a aposta em medicamentos sem comprovação científica, como a cloroquina.

Estão na mira, principalmente, as negociações com a farmacêutica Pfizer, que em agosto do ano passado ofereceu ao governo brasileiro 70 milhões de doses da vacina com previsão de entrega ainda em dezembro daquele ano. A oferta, porém, foi recusada.

O governo também elaborou um documento para defender o governo de Jair Bolsonaro das acusações de negligência na pandemia e superou o número de acusações que constam do roteiro sugerido pelo vice-presidente da CPI da Covid, o senador Randolfe Rodrigues. A Casa Civil, do ministro Luiz Eduardo Ramos, fez uma lista com 23 críticas e acusação sobre o desempenho do governo federal no combate à pandemia da covid-19.