Ômicron: Ainda sem endurecer regras sanitárias, DF e RJ descartam casos de nova variante

·2 min de leitura
Homem segura teste swab para detecção do coronavírus
Pacientes no DF e no RJ com suspeita de infecção pela nova variante Ômicron testam negativo (AP Photo/Charles Krupa, File)
  • DF e RJ descartam casos de nova variante Ômicron

  • Seis passageiros do DF que estavam no mesmo voo dos casos da Ômicron testam negativo

  • No RJ, mulher também testa negativo

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, informou que foi descartada a presença da variante Ômicron numa moradora da cidade do Rio de Janeiro, com suspeitas de ter se infectado com a nova cepa.

Segundo ele, a paciente, uma brasileira de 29 anos, apresentou diagnóstico positivo para a variante Delta e está assintomática. Nenhum novo caso suspeito da variante Ômicron foi identificado na cidade até agora, informou Soranz.

A mulher desembarcou no Brasil, no dia 21 de novembro, vinda de Joanesburgo, na África do Sul, e com passagem pela Etiópia. Antes de ir para o Rio, ela passou por São Paulo.

A paciente fez um teste de covid-19 ao entrar no país, que deu negativo. Em um novo exame realizado na segunda (29), teve o diagnóstico positivo.

DF: seis casos negativos

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, confirmou nesta sexta-feira (3) que os seis passageiros que estavam no mesmo voo dos infectados com a variante Ômicron, no DF, testaram negativo.

No avião que saiu de Guarulhos, em São Paulo, com destino a Brasília, estavam dois homens infectados com a nova variante da covid-19. Eles vieram da África do Sul e pousaram, inicialmente, na capital paulista.

Veja o que se sabe até o momento sobre a Ômicron

No Brasil, o Ministério da Saúde já confirmou cinco casos da variante, sendo três em São Paulo e dois no Distrito Federal. Todos se vacinaram contra a covid-19 e a maioria está assintomática.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que ainda não foi registrada nenhuma morte causada pela variante Ômicron.

"Não vi nenhuma informação sobre mortes vinculadas com a Ômicron", destacou Christian Lindmeier, um dos porta-vozes da OMS durante uma entrevista coletiva nesta sexta-feira (3) em Genebra, na Suíça.

Governo pode endurecer medidas

O governo federal avalia exigir o certificado de vacinação completa contra a covid-19 para a entrada de viajantes no Brasil. A decisão pode ser tomada nesta sexta-feira (3) em reunião no Palácio do Planalto.

Um grupo interministerial formado por Casa Civil e ministérios da Saúde, Infra-estrutura e Justiça avalia as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a adoção do passaporte da vacina para conter variante Ômicron.

Para evitar a exigência, a equipe estuda oferecer duas opções aos viajantes: ou o passageiro apresenta o comprovante de vacinação ou faz quarentena.

A Anvisa tem cobrado a adoção da medida. Nesta semana, o órgão enviou um novo ofício à Casa Civil, assinado pelos cinco diretores, reforçando as orientações já feitas sobre restrição de fronteiras e adoção do passaporte da vacina.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos