Ômicron: Sinovac começa a testar versão da Coronavac contra nova variante

·1 min de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - JUNE 18: A health worker prepares a CoronaVac vaccine against COVID-19 during an immunization campaign for people at José Marcílio Malta Cardoso Basic Health Unit on June 18, 2021 in Sao Paulo, Brazil. According to official figures released by the Health Minister, the death toll in Brazil is approaching half a million victims. President Jair Bolsonaro faces a probe as the country undergoes the second-deadliest COVID-19 outbreak outside of the United States. Protests are being held against the Copa America, which is being played in four Brazilian cities amid a surge in cases and deaths.  (Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)
Assim como Pfizer, Moderna e Astrazeneca, Sinovac estuda nova versão da CoronaVac, visando a Ômicron (Foto: Rodrigo Paiva/Getty Images)
  • Sinovac trabalha em nova versão da Coronavac para combater variante Ômicron

  • Farmacêutica também faz testes para verificar eficácia da versão original da vacina contra nova variante

  • Previsão é que resultados sobre eficácia da versão original seja divulgados em duas semanas

A farmacêutica chinesa Sinovac vai começar a fazer testes clínicos para testar uma nova versão da Coronavac, adaptada para combater a variante Ômicron. O anúncio foi feito nesta terça-feira (7), durante um simpósio sobre a vacina anticovid, realizado pelo Instituto Butantan, que produz a Coronavac no Brasil.

Yaling Hu, vice-presidente da Sinovac, explicou que a farmacêutica pretende concluir o estudo sobre a nova versão da vacina em três meses.

“Estamos num desenvolvimento específico para a cepa Ômicron. Na primeira avaliação queremos isolar o vírus e fazer testes de anticorpos neutralizantes, incluindo diferentes cronogramas de vacinação e diferentes faixas etárias, e o intervalo ideal para o reforço”, afirmou durante o evento.

Além dos testes da nova versão, a Sinovac também está avaliando a eficácia da Coronavac original para combater a variante Ômicron. A previsão é apresentar os resultados em duas semanas.

Outras farmacêuticas já começaram o desenvolvimento

A farmacêutica Pfizer já começou a desenvolver uma nova versão da vacina anticovid, com o objetivo de combater a variante Ômicron especificamente. O anúncio foi feito pelo diretor-executo da empresa, Albert Bourla.

Ainda não há confirmação de que o imunizante utilizado atualmente não seja eficaz contra a nova variante, mas já é uma preocupação da empresa. Em entrevista à rede norte-americana CNBC, o diretor da Pfizer admitiu que ainda há muito que não se sabe sobre a Ômicron, mas o alerta da Organização Mundial da Saúde chama atenção.

Além da Pfizer, a Moderna e a AstraZeneca também anunciaram que começaram o desenvolvimento de novas versões dos imunizantes contra a Ômicron.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos