OMS aprova vacina contra Covid-19 da J&J para uso emergencial

Stephanie Nebehay e Emma Farge
·1 minuto de leitura
Vacinação contra Covid-19

Por Stephanie Nebehay e Emma Farge

GENEBRA (Reuters) - A Organização Mundial da Saúde aprovou na sexta-feira o registro de emergência da vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19, dando seu selo de aprovação para acelerar o uso do imunizante, especialmente em países com agências regulatórias mais fracas.

É a terceira vacina contra Covid-19 a receber chancela da OMS, após o sinal verde para os imunizantes de duas doses da Pfizer/BioNTech e da AstraZeneca, e a primeira que exige apenas uma única injeção.

O registro abrange o uso em todos os países, para distribuição de vacinas pelo sistema Covax e ocorre após o anúncio de autorização da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) na quinta-feira.

"Cada ferramenta nova, segura e eficaz contra Covid-19 é mais um passo para o controle da pandemia", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em um comunicado.

"O registro de uso de emergência é o sinal verde para uma vacina ser adquirida e distribuída pelo Covax", afirmou ele em entrevista coletiva.

A OMS vai reunir seu conselho consultivo estratégico de especialistas em imunização na próxima semana para formular recomendações sobre seu uso, acrescentou ele.

"Mas a esperança oferecida por essas ferramentas não se concretizará a menos que sejam disponibilizadas a todas as pessoas em todos os países", disse ele.

A OMS também celebrou o fato de ser uma única aplicação, pois facilita a logística da vacinação.

O conselheiro sênior da OMS, Bruce Aylward, afirmou que a vacina da Johnson & Johnson, que não requer uma rede ultrafria, é "ainda mais adequada para alguns dos países mais atingidos pela pandemia".

(Reportagem adicional de Ludwig Burger em Frankfurt e Michael Shields)