OMS considera distribuição de 3ª dose da vacina “tecnicamente e moralmente errada”

·2 minuto de leitura
Países já iniciaram planos de distribuição de terceira dose da vacina - Foto: Getty Images
Países já iniciaram planos de distribuição de terceira dose da vacina - Foto: Getty Images
  • Diretores da OMS manifestaram-se contra a distribuição da terceira dose da vacina da Covid-19

  • Eles ressaltaram a falta de estudos conclusivos sobre o assunto e a necessidade de imunizantes em lugares mais pobres

  • Posicionamento aconteceu no mesmo dia em que o Brasil informou que distribuirá terceira dose a partir de setembro 

No mesmo dia em que o governo brasileiro anunciou o início da distribuição da terceira dose da vacina da Covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) manifestou-se contra a nova fase de imunização, ao menos momentaneamente.

De acordo com o blog de Jamil Chade no UOL, o órgão baseia-se em duas frentes para justificar seu posicionamento: o lado moral, já que muitos países sequer têm vacinas necessárias para completar a imunização, e o lado técnico, uma vez que estudos sobre a eficácia e os possíveis riscos de uma terceira dose ainda não são conclusivos.

Leia também:

“Não estamos no momento de recomendar doses extras. Não temos um abastecimento sem limites”, disse a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, que completou: “Em termos de saúde, há um consenso de que os dados não são conclusivos (sobre a eficácia da terceira dose)."

A especialista reconheceu que os reforços das doses iniciais serão necessários no futuro, mas considerou que “a prioridade deve ser salvar vidas”. “Não deveríamos ter 10 mil pessoas morrendo por dia."

Além de apontar a necessidade de divisão dos imunizantes com regiões menos favorecidas, Swaminathan garantiu que não há resultados científicos suficientes para garantir a eficácia de uma terceira dose ou a segurança de quem a receberá.

Tedros Ghebreyesus:
Tedros Ghebreyesus: "Terceira dose é tecnicamente e moralmente errada" (Jaber Abdulkhaleg/Anadolu Agency via Getty Images)

"O que ocorre com uma terceira dose? Existem ainda perguntas que precisam ser respondidas", afirmou.

Diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus foi na mesma linha da colega e sintetizou seu parecer: a aplicação de uma terceira dose é “tecnicamente e moralmente errada”.

O dirigente foi além e explicou que a não imunização completa de toda a população fará com que o vírus circule livremente em algumas regiões, dando origem a possíveis novas cepas que prejudicarão inclusive os já vacinados.

"Estamos dando oportunidade para que o vírus circule e isso é bom para o vírus", afirmou. “É como dar mais um salva-vidas para quem já tem um salva-vidas, enquanto deixamos aqueles que não tem proteção sem proteção.”

Terceira dose no Brasil

Nesta quarta-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou que a terceira dose da vacina contra a Covid-19 será distribuída no Brasil a partir de 15 de setembro. O público-alvo será idosos com mais de 80 anos e pessoas imunossuprimidas, como aqueles que realizaram transplantes recentemente ou com câncer.

Momentos depois, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), informou que o estado aplicará a terceira dose a pessoas com mais de 60 anos a partir do dia 6 de setembro. A vacinação será feita de forma escalonada, começando pelas pessoas mais idosas, sempre após 6 meses da segunda dose.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos