OMS preocupada com evolução do coronavírus nos Bálcãs e Europa central

·1 minuto de leitura
Enfermeira prepara vacina contra coronavírus em Rijeka (Croácia)

A evolução do coronavírus nos Bálcãs e na Europa central é "especialmente" preocupante, afirmaram nesta quinta-feira os diretores da região Europa da Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Estamos particularmente preocupados com a situação situação epidemiológica nos Bálcãs e em muitos outros países da Europa central", disse Catherine Smallwood, diretora para situações de emergência na OMS Europa.

Ele destacou que nesta área o número de mortos e hospitalizados por covid-19 está entre "os mais elevados do mundo".

"Os contágios seguem a tendência de alta e se deslocam para o leste. Estamos na terceira semana consecutiva de aumento dos casos na região Europa", que reúne 53 países, afirmou o diretor para a Europa da OMS, Hans Kluge.

"O número de pessoas que morrem por coronavírus na Europa é mais elevado hoje que o número registrado na mesma época do ano passado", disse.

Na última semana, mais de 21.000 pessoas morreram vítimas da covid-19 nos países incluídos na região Europa da OMS.

Para Kluge, as vantagens da campanha de vacinação ainda vão chegar, mas no momento os europeus devem usar as ferramentas de prevenção adotadas há vários meses.

"A vacina não substitui as medidas sociais e de saúde pública", disse.

Nestes países entre 1 e 50% da população está vacinada. Israel é parte da região Europa da OMS.

Na UE, de acordo com dados da AFP, 3,6% da população recebeu as duas doses de algumas das vacinas contra o coronavírus e 8,4% receberam ao menos uma dose.

cbw/map/bl/jvb/fp