Onana joga pelada com crianças em Camarões

Onana em ação contra Gâmbia pela Copa Africana de Nações. Foto: Ulrik Pedersen/NurPhoto via Getty Images
Onana em ação contra Gâmbia pela Copa Africana de Nações. Foto: Ulrik Pedersen/NurPhoto via Getty Images

O goleiro Onana se desentendeu com técnico de Camarões, Rigobert Song, e deixou a delegação do seu país na Copa do Mundo do Catar. O jovem arqueiro da Internazionale passou os seus últimos dias de descanso em seu país natal e foi flagrado em pelada com crianças em campo de terra batida.

Surpresa ficou pelo fato de Onana ter abandonado a meta e participado dessa pelada como meio-campista. A sua presença encantou quem estava por perto e a prova disso é que bastaram poucos minutos para lhe filmarem e divulgarem esse momento nas redes sociais.

Leia também:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O seu tempo livro em Camarões está perto do fim, ou seja, Onana é aguardado para retomar os treinos com a Inter em 9 de dezembro. O camaronês alterna exibições com Handanovic no lado Nenazzurri de Milão. A Inter é a quinta colocada no Campeonato Italiano e está confirmada nas oitavas de final da Liga dos Campeões frente ao Porto.

Ausência da sua seleção que o impediu de participar da única vitória no Mundial. Camarões enfrentou Brasil com time reserva e venceu por um ano a poucos minutos do fim com gol de cabeça de Aboubakar. Os Leões Indomáveis encerraram em terceiro no Grupo G com 4 pontos (uma derrota, um empate e uma vitória).

MOTIVO

Onana justificou nas redes sociais que o motivo do seu corte foi a falta de consenso do outro “lado”. Confira na íntegra o comunicado:

“Quero expressar meu afeto pelo meu país e pela equipe nacional. Ontem não me foi permitido estar no chão para ajudar Camarões, como sempre faço, a alcançar os objetivos da equipe. Eu sempre me comportei de forma a levar a equipe ao sucesso de uma maneira boa. Coloquei todos os meus esforços e energia em encontrar soluções para uma situação que um jogador de futebol muitas vezes experimenta, mas não houve vontade do outro lado. Alguns momentos são difíceis de assimilar. No entanto, eu sempre respeito e apoio às decisões das pessoas responsáveis por buscar o sucesso de nossa equipe e país. Estendo toda a minha força aos meus companheiros de equipe porque demonstramos que somos capazes de ir muito longe nesta competição. Os valores que promovo como pessoa e como jogador são os que me identificam e que minha família me dá desde a minha infância. Representar Camarões sempre foi um privilégio. A Nação primeiro e para sempre. Obrigado”.