Onda de calor: França, Portugal e Espanha continuam a combater incêndios florestais

AP

Vários países da Europa continuaram a combater incêndios florestais devastadores no domingo (17), resultado de uma onda de calor que deve durar além do fim de semana e que pode quebrar vários recordes de temperatura no início da próxima semana, segundo os meteorologistas.

No sudoeste de França, a mobilização dos bombeiros continua principalmente em Gironde, onde cerca de 10.500 hectares de floresta já foram destruídos desde terça-feira, num contexto de onda de calor generalizada, onde as temperaturas podem chegar aos 40 graus localmente, de acordo com a Météo-France, que colocou 37 departamentos em vigilância laranja de "onda de calor" neste domingo.

“O calor está crescendo, a onda de calor está se espalhando pelo país”, alerta o estabelecimento meteorológico estatal.

Segunda-feira promete ser "a mais quente para o oeste do país", prevê Météo-France, que prevê que a marca de 40 graus ainda seja alcançada na Bretanha, Baixa Normandia, Aquitânia e Occitânia ocidental.

No total, mais de 14.000 moradores e turistas tiveram de deixar residências e acampamentos desde terça-feira. Sete centros de alojamento de emergência e uma célula de emergência médico-psicológica foram abertos para apoiar as vítimas.

Trégua na Península Ibérica

Os incêndios florestais parecem ter dado uma trégua em Portugal na manhã de domingo. Um único grande foco, junto ao concelho de Chaves no extremo norte do país, foi considerado ativo e “praticamente controlado” em mais de 90% do seu perímetro segundo a proteção civil portuguesa.

No entanto, quase todo o território português apresentou risco “máximo”, “muito alto” ou “alto” aos incêndios no domingo, em particular as regiões do interior centro e norte.

Para domingo, nenhum alerta de calor vermelho foi emitido pelo Instituto Meteorológico Português. Esta é a primeira vez desde 8 de julho que as temperaturas em Portugal não devem ultrapassar a marca dos 40°.

De acordo com o último relatório conhecido da proteção civil portuguesa, os incêndios da semana passada deixaram dois mortos e cerca de sessenta feridos. De acordo com suas estimativas, esses incêndios devastaram entre 12.000 e 15.000 hectares de floresta e arbustos desde o início da onda de calor.

Na Espanha, cerca de 20 incêndios florestais ainda estão ocorrendo e permanecem fora de controle em diferentes partes do país, do sul ao extremo noroeste da Galícia, onde os incêndios até agora destruíram cerca de 4.400 hectares de terra esta semana, disseram autoridades.

Apenas 300 das 3.000 pessoas retiradas preventivamente perto de Málaga, no extremo sul, foram autorizadas a retornar às suas casas no domingo.

A Agência Meteorológica Espanhola prevê temperaturas "significativamente altas" na maior parte da Espanha continental e nas Ilhas Baleares no Mediterrâneo no domingo, com a temperatura prevista para atingir até 42 graus na cidade de Logroño, no norte, e 40 graus em Madri e Sevilha.

Na Grécia, os bombeiros continuaram a combater um surto que eclodiu na manhã da sexta-feira, provocando a evacuação preventiva de sete aldeias numa zona rural da prefeitura de Rethymno, na ilha de Creta.

(com informações da AFP)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos