Onda de solidariedade nos EUA a menino vítima de bullying

(Arquivo) O ator americano Mark Hamill, que se pronunciou sobre o caso

Um vídeo de um menino que conta com lágrimas nos olhos ser vítima de bullying na escola viralizou e desencadeou uma onda de solidariedade por parte de atores de Hollywood, estrelas da música e grandes atletas nos Estados Unidos.

A mãe de Keaton Jones postou o vídeo na sexta-feira no Facebook, a pedido de seu filho, depois que ele implorou que ela fosse à escola porque tinha medo de almoçar na cantina com seus colegas de classe.

Desde então, foi visto mais de 22 milhões de vezes e compartilhado mais de 440.000.

"Eles riem do meu nariz, dizem que sou feio, dizem que eu não tenho amigos. Jogam leite em mim e colocam presunto dentro da minha roupa. Jogam pedaços de pão", diz o menino.

"Não gosto que façam isso comigo e, sem dúvida, não gosto que façam isso com outras pessoas porque não está certo", explica, transbordando em lágrimas. "As pessoas que são diferentes não precisam ser criticadas por isso, não é sua culpa. Se eles riem de você, não deixe que isso o incomode. Seja forte", enfatiza.

O ator Chris Evans, que interpreta o Capitão América, convidou Jones para a estreia do próximo filme dos "Vingadores".

"Seja forte, Keaton. Juro que tudo vai melhorar", escreveu o ator no Twitter. "Enquanto esses vândalos em sua escola estão decidindo que tipo de pessoas querem ser neste mundo, você gostaria de vir com sua mãe para a estreia de 'Vingadores' em Los Angeles no próximo ano?", perguntou.

Mark Hamill, o lendário Luke Skywalker de "Star Wars", também se pronunciou: "Keaton, não desperdice seu tempo perguntando por que eles fazem isso, são pessoas tristes que pensam que machucar os outros fará com que se sintam bem porque não gostam de si mesmos".

O presidente do Ultimate Fighting Championship (UFC), Dana White, escreveu no Twitter que quer "levar Keaton para Las Vegas e visitar a sede do UFC".

Kimberly, a mãe do jovem, agradeceu as mensagens de apoio. "Amigos, amo vocês pelo que estão fazendo, porque não há como responder ou ler todas as mensagens", escreveu no Facebook.