"Onda vermelha" republicana não varreu EUA

Nas eleições intercalares dos Estados Unidos, a "onda vermelha", esperada pelos Republicanos, acabou por não se verificar. Apesar de ainda poderem ganhar ambas das câmaras do Congresso, os dados parciais indicam resultados menos positivos do que aquilo que seria esperado pelo partido de Donald Trump.

Os Democratas conseguiram, até ao momento, alguns ganhos-chave. Na Pensilvânia, por exemplo,John Fetterman foi escolhido para o Senado, ele que concorria contra o republicano Mehmet Oz, médico e personalidade televisiva.

Mas os Republicanos reforçaram o seu domínio noutros locais. Na Florida, Marco Rubio manteve o lugar na Câmara Alta e Ron DeSantis assegurou um segundo mandato como governador.

Conseguimos mais do que alguém pensava ser possível há quatro anos, mas temos muito mais a fazer

DeSantis é visto como um dos poucos capaz de desafiar Donald Trump, numa eventual corrida à Casa Branca, em 2024. O antigo Presidente deverá anunciar a candidatura já nos próximos dias.

As eleições intercalares americanas decidirão quem irá controlar o Congresso e quem detém posições-chave em determinados estados, mas os resultados finais poderão demorar vários dias, principalmente em estados decisivos como o Arizona ou a Geórgia.

Só aí se saberá se o equilíbrio de poder se alterou em Washington e que impacto é que isso terá no restante mandato de Joe Biden.