Ondas de calor ameaçam a China nos próximos dias

Mulher usa pequeno ventilador portátil enquanto caminha em Xangai, na China

Por Ryan Woo

PEQUIM (Reuters) - A China sofrerá com o retorno de mais ondas de calor nos próximos 10 dias, de leste a oeste do país, com algumas cidades costeiras já em seu nível mais alto de alerta e regiões do interior alertando sobre riscos de ruptura de barragens devido ao derretimento de geleiras.

Um pico acentuado de temperatura é esperado no sábado, antes de se transformar em ondas de calor, definidas como períodos de clima atipicamente quente de três dias ou mais. Este sábado é o dia do "grande calor" no calendário lunar chinês.

Espera-se que a onda de calor seja semelhante em escopo às ondas de calor de 5 a 17 de julho, mas mais regiões podem ser atingidas por temperaturas de 40 graus Celsius ou mais, disse Fu Jiaolan, meteorologista-chefe do Centro Meteorológico Nacional, à midia estatal.

Algumas cidades da província de Zhejiang, que abriga muitas fábricas e exportadores, emitiram na sexta-feira alertas vermelhos, os mais altos em um sistema de alerta de três níveis, prevendo temperaturas de pelo menos 40°C nas próximas 24 horas.

A carga na rede elétrica nacional pode atingir um novo recorde neste verão, à medida que a demanda por ar condicionado em residências, escritórios e fábricas aumenta, com a operação enfrentando "testes severos", alertou o Ministério de Gerenciamento de Emergências na sexta-feira.

"Para todas as fábricas na China e em Xangai temos regulamentos que precisam ser seguidos", disse Leo Zhang, presidente da fabricante de produtos químicos Sika China.

"Todos os anos fazemos coisas para tornar o trabalho mais confortável, por exemplo, dando sorvete aos trabalhadores quando está muito quente."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos