ONG de defesa do consumidor pressiona ANS a intervir na Prevent Senior

·1 minuto de leitura
SAO PAULOS/ SP, BRASIL, 28.09.2021 - Fachada do hospital da Prevent Senior no Alto da Mooca.  (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
SAO PAULOS/ SP, BRASIL, 28.09.2021 - Fachada do hospital da Prevent Senior no Alto da Mooca. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Idec (Instituto Brasildeiro de Defesa do Consumidor) acompanhado das entidades Quid, Engajamundo e Casa Galiléia lançaram nesta quarta-feira (29) uma campanha para pressionar a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) a intervir na gestão da Prevent Senior, que está na mira da CPI da Covid.

Chamada “Saúde não é experimento” a iniciativa pede que a ANS use o recurso de direção técnica, que é uma intervenção prevista nas regras da agência, para investigar a Prevent Senior e tomar medidas.

“Nós entendemos que a situação da operadora chegou a um ponto muito grave, que a ANS precisa intervir o mais rápido possível, porque essa é a melhor solução técnica, inclusive para os consumidores", diz o advogado do programa de Saúde do Idec, Matheus Falcão.

Ele afirma que o modelo do negócio da Prevent Senior, que administra a própria rede de hospitais, dá à empresa mais poder para definir protocolos clínicos e prescrever medicamentos sem eficácia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos