ONG multiplica presença em favelas no país

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Gerando Falcões, que entrou em 2021 com atuação em 289 favelas no Brasil, fecha o ano em 1.700. Para 2022, a ONG planeja chegar a mais de 5.700 comunidades.

Entre seus projetos de educação, a Gerando Falcões afirma que neste ano, formou mais de 1.700 jovens em diferentes cursos de capacitação, número que deve se aproximar de 12 mil formados no próximo ano, segundo as projeções da ONG.

Fundada em 2011 pelo empreendedor Edu Lyra como um propulsor de projetos de inovação e liderança em favelas, a Gerando Falcões multiplicou sua projeção na pandemia com a arrecadação de dezenas de milhões em doações de grandes empresários para campanhas de combate à fome.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos