ONGs investem prêmio de R$ 10 mil em projetos socioambientais

Desde 2005, a missão da Agência do Bem é promover o desenvolvimento humano através do apoio que oferece a ações comunitárias. Para escolher as instituições a serem beneficiadas na décima edição do Edital de Microprojetos, a ONG propôs que fossem apresentados planejamentos que tivessem como objetivo o bem-estar social de pessoas de baixa renda. O resultado da mais recente ação desta organização sem fins lucrativos, que atua em diversos estados do país, contemplou duas instituições da Zona Norte com um apoio financeiro de R$ 10 mil. O Instituto Raízes em Movimento, que funciona no Complexo do Alemão, vai investir a verba em políticas públicas na área de saneamento ambiental. Já a Associação Luz de Sophia, com sede na Penha, usará o prêmio na aquisição de placas solares para geração de energia limpa.

Antirracismo: Livro infantil combate o preconceito

Vida saudável: Guru indiano ensina técnicas para combater o estresse

Fundador da Agência do Bem, Alan Maia explica a importância de conscientizar as comunidades de baixa renda sobre a importância da preservação do meio ambiente.

— Fortalecer a agenda sustentável por meio de projetos que trabalham a educação e o desenvolvimento humano é fundamental para se contribuir com a geração de energia limpa e o saneamento básico dentro das comunidades. Nesta edição do edital, recebemos mais de 50 inscrições de projetos transformadores. É sempre uma alegria premiar organizações que atuam em áreas relevantes para a sociedade, mas que muitas vezes não dispõem do aporte financeiro necessário — diz.

Coordenador de comunicação do Raízes em Movimento, David Amen, morador do Complexo do Alemão, explica as ações realizadas na comunidade:

— Nosso trabalho se articula em áreas estratégicas, como produção de conhecimento, comunicação e cultura. Vamos utilizar o apoio da Agência do Bem para realizar rodas de conversas sobre saneamento ambiental que chamamos de “Vamos desenrolar”. A ideia é convidar especialistas no assunto — adianta.

A presidente da Associação Luz de Sophia, Amanda Novaes, moradora da Penha, está à frente deste trabalho social que atende, gratuitamente, crianças e adolescentes com deficiências e síndromes raras em suas necessidades nas áreas de fisioterapia (motora e respiratória), fonoaudiologia, psicopedagogia, terapia ocupacional, pediatria, psicologia, nutrição e serviço social.

— O prêmio recebido através da Agência do Bem será utilizado no Projeto Luz Solar de Sophia, que visa a reduzir os custos com energia elétrica por meio de soluções sustentáveis. A aquisição de placas solares representará uma economia e, ao mesmo tempo, será uma forma de dar exemplo de responsabilidade socioambiental — observa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos