OnlyFans interrompe pagamento a criadores de conteúdo russos

·2 min de leitura
OnlyFans interrompe pagamento a criadores de conteúdo russos(Photo illustration by Nikolas Kokovlis/NurPhoto via Getty Images)
OnlyFans interrompe pagamento a criadores de conteúdo russos(Photo illustration by Nikolas Kokovlis/NurPhoto via Getty Images)
  • A medida é devido à incerteza sobre as opções de pagamento complicadas pelas sanções ocidentais;

  • Em fevereiro, o OnlyFans já havia suspendido os pagamentos;

  • Desde o início da invasão, mais de 400 empresas impuseram sanções a Rússia.

O OnlyFans diz que "pausou temporariamente" as contas de criadores russos devido a sanções impostas contra o país após a invasão da Ucrânia pelo presidente Vladimir Putin. A plataforma de mídia social que permite que strippers monetizem seu conteúdo disse ao Motherboard que “não pode mais servir à comunidade de criadores russos” devido à incerteza sobre as opções de pagamento complicadas pelas sanções ocidentais.

“Nos últimos meses, exploramos várias opções para continuar fornecendo nossos serviços aos criadores impactados pela guerra Rússia/Ucrânia”, disse a companhia em um comunicado. “No entanto, devido a um maior aperto nas restrições de pagamento de e para a Rússia, o OnlyFans não pode mais servir adequadamente à nossa comunidade de criadores russos”, acrescentou.

Em fevereiro, o OnlyFans suspendeu os pagamentos aos criadores de conteúdo russos – resultando em perdas de milhares de dólares em renda para profissionais do sexo que dependem do dinheiro para sobreviver.

“Esteja informado de que seu país não é compatível com pagamentos, portanto, não podemos ajudá-lo com esse assunto no momento”, disse OnlyFans aos criadores em fevereiro.

Mas os pagamentos foram retomados depois que a empresa disse que resolveu o problema.

Agora, OnlyFans diz que precisa reimpor as restrições. Os criadores de conteúdo disseram que estão sendo punidos pelas ações de seu governo, embora se oponham à invasão da Ucrânia. “Não podemos trabalhar para OnlyFans agora”, disse um deles ao Motherboard.

“Estamos trabalhando nesta plataforma há um ano e agora temos que começar tudo de novo. É uma pena que todos os russos agora sejam vistos como inimigos. Mas nem todos apoiam a guerra. E muitos continuam a expressar sua posição, apesar de ser perigoso na Rússia”.

Desde o início da invasão no final de fevereiro, as empresas de tecnologia ocidentais fugiram em massa da Rússia, interrompendo seus laços comerciais com o país. Facebook, Google, Sony, Nintendo, Microsoft, PayPal, Apple, Twitter, TikTok, Netflix, Spotify e outros estão entre as mais de 400 empresas que impuseram sanções à Rússia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos