ONU aponta que confrontos recentes no Haiti deixaram 234 mortos ou feridos

Pelo menos 234 pessoas morreram ou ficaram feridas somente entre os dias 8 e 12 de julho, como consequência da violência entre gangues em Cité Soleil, localidade mais pobre da região metropolitana de Porto Príncipe, capital do Haiti, segundo dados divulgados pela ONU neste sábado.

“A maioria das vítimas não está diretamente vinculada às gangues, mas foi alvo dos membros das gangues. Também recebemos novas denúncias de violência sexual”, afirmou o porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Jeremy Laurence.

Haiti: gangues transformam em campo de batalha, com 89 mortos em uma semana

Um ano após morte de Jovenel Moïse: Haiti vive vazio político desde antes do assassinato do presidente

De acordo com a entidade, 934 pessoas foram assassinadas, 684 ficaram feridas e outras 680 foram sequestradas no período entre janeiro e o fim de junho deste ano.

Um relatório anterior da ONG Rede Nacional de Defesa dos Direitos Humanos estimava o número de mortos em 89, além de 74 feridos e 16 desaparecidos.

“Estamos profundamente preocupados com o agravamento da violência em Porto Príncipe e com o aumento das violações de direitos humanos cometidas contra a população local por gangues fortemente armadas”, disse Laurence.

Desde sexta-feira, disparos de armas automáticas podem ser ouvidas durante todo dia em Cité Soleil, onde duas facções se enfrentam. Com poucos homens e recursos, a polícia local não intervém nos confrontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos