Ex-guerrilheiro e futuro congressista pelas Farc é preso na Colômbia

Bogotá, 9 abr (EFE).- O ex-guerrilheiro e dirigente do agora partido político Farc, Jesús Santrich, designado como membro da Câmara de Representantes da Colômbia a partir do próximo dia 20 de julho, foi detido nesta segunda-feira em Bogotá, segundo confirmou o Ministério Público, sem detalhar o motivo.

A detenção também foi confirmada pelo segundo em comando da antiga guerrilha, Iván Márquez, que escreveu no Twitter que a detenção aconteceu "sob montagem" e acrescentou que "este é o pior momento que (o processo de paz) está atravessando".

Embora as autoridades ainda não tenham informado o motivo da detenção, vários meios de comunicação locais asseguram que o procedimento tem a ver com assuntos relacionados com o narcotráfico e por solicitação da DEA, a agência antidrogas dos Estados Unidos.

Por sua parte, o escritório da presidência informou que o presidente Juan Manuel Santos e o procurador-geral, Néstor Humberto Martínez, farão hoje uma declaração conjunta na Casa de Nariño, sede do Executivo.

"Peço ao governo para que gere fatos que impeçam que estas intenções que atentam contra o processo e o direito à paz se consolidem", destacou Márquez no Twitter.

Por sua parte, Victoria Sandino, também dirigente do partido Força Alternativa Revolucionária do Comum (Farc), no qual se transformou essa antiga guerrilha, declarou que a detenção "é uma sabotagem e montagem" contra os que se comprometeram com o processo de paz.

Santrich, codinome de Seuxis Hernández Solarte, fez parte da delegação negociadora de paz das Farc em Havana, onde se caracterizou por suas posturas radicais, e é conhecido por ser um dos dirigentes mais belicosos dessa antiga guerrilha.

Nesta segunda-feira Santrich participou junto com outros membros das Farc em reunião com uma delegação de parlamentares do Reino Unido e da Irlanda para informar do estado de implementação do acordo de paz. EFE