ONU critica um ano do "vergonhoso" fechamento das escolas no Afeganistão

A ONU pediu neste domingo (18) aos talibãs no Afeganistão a reabertura das escolas do Ensino Médio para meninas e classificou de "trágico e vergonhoso" o fechamento, iniciado há exatamente um ano.

"Este domingo marca um ano de exclusão das meninas das escolas do Ensino Médio no Afeganistão. Um ano de aprendizado perdido e de oportunidades que nunca serão recuperadas. As meninas têm seu espaço nas escolas. Os talibãs devem permitir que retornem", escreveu no Twitter o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Após sua chegada ao poder em agosto de 2021, os talibãs proibiram a presença das meninas no Ensino Médio. Em 23 de março autorizaram o retorno, mas poucas horas depois anunciaram o veto novamente.

O regime talibã alega que a proibição está vinculada a um "problema técnico" e que as aulas serão retomadas após a definição de um programa baseado nos preceitos islâmicos.

De acordo com a ONU, "mais de um milhão de crianças", principalmente na faixa de 12 a 18 anos, não frequentaram a escola no último ano.

"É um aniversário trágico, vergonhoso e totalmente evitável", afirmou Markus Potzel, diretor da Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (Unama, na sigla em inglês) em um comunicado.

Desde seu retorno ao poder, os talibãs anunciaram severas restrições para as mulheres, para que se ajustem à visão extremamente rigorosa que o movimento tem do islã, o que significou o afastamento das mulheres da vida pública.

jd/ssy/meb/zm/fp