ONU denuncia 'campanha política' em Mianmar contra jornalismo independente

(Arquivo) A alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, afirmou nesta terça-feira (11) que Mianmar está realizando uma "campanha política contra o jornalismo independente".

"Quando há jornalistas presos por terem simplesmente visitado uma zona controlada por um grupo armado, quando suas fontes estão detidas por terem dado informação procedente de zonas de conflito (...), um entorno assim não é demasiado propício para uma transição democrática", disse a nova alta comissária, citada em um comunicado.

"Peço às autoridades que ponham fim ao assédio jurídico e judiciário dos jornalistas e que ponham em marcha uma revisão das leis mal definidas que facilitam as vulnerabilidades para o exercício legítimo da liberdade de expressão", acrescentou.

Desde sua nomeação, Bachelet foi muito crítica quanto à condenação, em setembro, a sete anos de prisão de dois jornalistas birmaneses da agência de notícias Reuters, exigindo sua libertação imediata e denunciando "uma paródia de Justiça".

Os jornalistas condenados foram acusados de infringir uma lei de segredos oficiais quando investigavam o massacre de muçulmanos rohingyas.