Procura por vacina contra febre amarela gera grandes filas no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro, 17 mar (EFE).- O temor de uma rápida propagação da febre amarela no Rio de Janeiro levou centenas de pessoas a formarem longas filas nos postos de saúde nesta sexta-feira, dois dias depois da confirmação da primeira morte pelo vírus no estado do Rio de Janeiro.

Antes mesmo da abertura das unidades, o público já aguardava o atendimento começar. A correria aconteceu dois dias depois da Secretaria de Estado de Saúde confirmar os dois primeiros casos da doença. Após o óbito do primeiro paciente, o Ministério da Saúde anunciou o envio de 1 milhão de doses da vacina ao Rio de Janeiro.

Além dos dois casos já confirmados, o governo do estado investiga pelo menos 36 casos suspeitos de febre amarela, a maioria no município de Casemiro de Abreu, onde foi registrada a morte do pedreiro Watila Santos, de 38 anos.

O grande aumento da procura pela vacina forçou à Secretaria de Saúde a abrir os postos uma hora antes do habitual para distribuir senhas aos interessados e organizar as filas. A chegada da febre amarela ao Rio de Janeiro acendeu todos os alertas e obrigou às autoridades regionais a antecipar para esta semana o início da campanha de vacinação que estava prevista para o final do mês.

A entrada do vírus no estado foi confirmada depois que a doença se propagou rapidamente por Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo. Conforme o boletim mais recente do Ministério da Saúde, o Brasil registrou nos últimos meses 137 mortes por febre amarela em 80 municípios, além de 424 casos confirmados. EFE