ONU diz que mortes por forças de segurança na Venezuela indicam que Estado de Direito é "praticamente ausente"

Por Stephanie Nebehay
Manifestantes de oposição prestam homenagem a vítimas da violência durante protesto contra presidente da Venezuela, Nicolás Maduro 21/06/2017 REUTERS/Marco Bello

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - Membros das forças de segurança venezuelanas suspeitos de matar centenas de manifestantes e supostos criminosos têm imunidade penal, indicando que o Estado de Direito está "praticamente ausente" no país, disse a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira.

Em relatório, a agência de direitos humanos da ONU pediu que o governo da Venezuela faça com que infratores sejam julgados, citando o que descreveu como chocantes casos de assassinatos extrajudiciais de jovens durante operações de combate ao crime conduzidas sem mandados judiciais em bairros pobres.

Críticos dizem que o presidente Nicolás Maduro recorre a táticas cada vez mais autoritárias à medida que a recessão e a hiperinflação da Venezuela se aprofundam, ampliando a insatisfação e fazendo com que centenas de milhares de pessoas deixassem o país no último ano.