Rússia suspende coordenação militar com os EUA em resposta ao ataque à Síria

Moscou, 7 abr (EFE).- A Rússia suspendeu, nesta sexta-feira, a coordenação militar que tinha com os Estados Unidos na Síria, em resposta ao ataque americano das últimas horas contra uma base aérea, disse o Ministério das Relações Exteriores, acusando Washington de ter planejado o ataque com antecedência.

"A parte russa suspende a vigência do memorando que existe para evitar incidentes e garantir a segurança de voos durante as operações (militares) na Síria, assinado com os EUA", afirmou o Ministério, em uma declaração lida por sua porta-voz, Maria Zakharova.

A porta-voz disse que o ataque dos EUA estava pronta com "antecedência" e que "para qualquer especialista está claro que a decisão do ataque foi tomada em Washington antes do fato de Idlib (ataque com armas químicas atribuído ao governo sírio), que só foi utilizado como pretexto para uma demonstração de força".

"Estamos diante de uma clara agressão contra a Síria. As ações tomadas hoje pelos EUA destroem ainda mais as relações russo-americanos", advertiu Maria Zakharova.

Os russos acusam Washington de tentar usar "uma demonstração de força, o confronto militar com um país que luta contra o terrorismo internacional, sem se preocupar em esclarecer" as circunstâncias do suposto ataque químico contra população civil síria.

"Sem dúvida, a ação militar dos EUA também é uma tentativa de desviar a atenção da situação em Mossul (Iraque), onde como resultado das ações, entre outras da coalizão liderada pelos Estados Unidos, morreram centenas de civis inocentes e aumenta a catástrofe humanitária", acrescentou.

Maria Zakharova anunciou o comparecimento do ministro das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, para realizar uma declaração sobre a situação na Síria após o ataque americano. EFE