ONU expressa preocupação com direitos das mulheres no Afeganistão

·1 minuto de leitura
Mulher afegã discute com um talibã durante uma manifestação em Herat, em 2 de setembro de 2021 (AFP/-)

Os talibãs afirmam que "os direitos das mulheres serão respeitados no âmbito do islã, mas recebemos diariamente informações sobre retrocessos", advertiu nesta quarta-feira a representante adjunta da ONU Mulheres no Afeganistão, Alison Davidian.

"É proibido às mulheres sair de casa" sem um homem de confiança da família, apontou Alison durante videoconferência com jornalistas em Nova York. "Em algumas províncias, elas deixaram de trabalhar", lamentou.

Segundo Alison, os talibãs, ao anunciarem um governo formado exclusivamente por homens, "perderam uma oportunidade crítica de mostrar ao mundo que estavam realmente comprometidos com a criação de um governo inclusivo e uma sociedade próspera".

"Chegou a hora de os talibãs mostrarem que governam em nome de todos os afegãos", insistiu a representante da ONU Mulheres, órgão das Nações Unidas dedicado à igualdade de gênero e à criação de oportunidades para mulheres de todo o mundo.

prh/cjc/llu/lda/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos