ONU libera US$ 100 mi para combater a fome em sete países, entre eles a Etiópia

·1 minuto de leitura
Conflitos no Sudão do Sul e em outros países levaram a um dramático aumento do número de pessoas no limiar da fome e da miséria
Conflitos no Sudão do Sul e em outros países levaram a um dramático aumento do número de pessoas no limiar da fome e da miséria

A ONU anunciou nesta terça-feira (17) que liberou 100 milhoes de dólares para ajudar sete países a não cair na fome por causa da pandemia de covid-19, entre eles a Etiópia com 20 milhões.

"Ninguém deveria considerar a fome como um efeito colateral inevitável desta pandemia", disse o subsecretário-geral de Assuntos Humanitários da ONU, Mark Lowcock, em um comunicado.

"Se isso está acontecendo é porque o mundo permitiu que aconteça. A fome pode ser prevenida. Mas devemos agir a tempo para fazer a diferença. Neste momento, mais dinheiro para ajuda é a forma mais rápida e eficaz de apoiar os esforços de prevenção da fome", acrescentou.

Embora haja "comida mais que suficiente para todos" no planeta, "a fome causa mortes atrozes" e "alimenta conflitos e guerras", lembrou o funcionário da ONU.

Da quantidade desbloqueada pelo Fundo Central de Resposta a Emergências da ONU, 20 milhões de dólares serão destindos à Etiópia e os 80 milhões restantes serão distribuidos entre seis países: Afeganistão (15 milhões), Burkina Faso (6 milhões), República Democrática do Congo (7 milhões), Nigéria (15 milhões), Sudão do Sul (7 milhões) e Iêmen (30 milhões), detalhou o comunicado.

prh/la/ll/yo/aa