ONU pede respeito aos direitos na Armênia, após renúncia do premiê

Milhares de armênios vão às ruas da capital, Erevan, para celebrar a renúncia de Serzh Sarkisian

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, pediu, nesta segunda-feira (23), moderação e respeito pelos direitos democráticos na Armênia, depois dos protestos em massa nas ruas que levaram à renúncia do líder Serzh Sarkisian.

Presidente por uma década, Sarkisian foi eleito primeiro-ministro na semana passada, com amplos poderes, o que deflagrou os protestos.

"De acordo com a natureza em geral pacífica dos eventos até agora, o secretário-geral estimula todos os atores relevantes a continuarem exercitando a moderação, a evitarem a retórica incendiária e a participarem de maneira significativa, por meio de um diálogo aberto e construtivo", disse o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric.

Guterres "exige o respeito contínuo dos direitos democráticos e do Estado de direito, assim como também a manutenção da paz e a estabilidade na Armênia e na região em geral".

Milhares de manifestantes saíram às ruas de Erevan, a capital, nos últimos dias. Vários soldados e ex-soldados se uniram aos protestos.

O Kremlin disse que acompanha de perto a crise política na Armênia, país que abriga uma base militar russa, descartando qualquer interferência futura.