ONU pede mais solidariedade com Mossul

Guterres visita o campo de refugiados internos de Hassan Cham, a 30 km de Mossul

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, pediu nesta sexta-feira uma maior solidariedade internacional com os habitantes de Mossul, após meses de combates na segunda maior cidade do Iraque.

"Não temos os recursos necessários para apoiar estas pessoas, nem a solidariedade internacional exigida", disse Guterres aos jornalistas no campo de deslocados iraquiano de Hasan Cham, a leste de Mossul, o último reduto do grupo Estado Islâmico no Iraque.

"Infelizmente, nosso programa aqui só está financiado em 8% (de sua totalidade). Isso mostra o quão limitados os nossos recursos são", disse.

"Essas pessoas sofreram enormemente e continuam sofrendo. Precisamos de mais solidariedade por parte da comunidade internacional", prosseguiu o secretário-geral.

Na quinta-feira, no primeiro dia de sua visita ao Iraque, Guterres se reuniu em Bagdá com o primeiro-ministro, Haider al Abadi, e outras autoridades do país.

Esta visita ocorre quando as forças iraquianas tentam há cinco meses tomar Mossul dos extremistas do grupo Estado Islâmico, que controlam a cidade desde 2014.

O conflito provocou o deslocamento de mais de 200.000 pessoas desde o início, em fevereiro, da operação para recuperar a parte ocidental da cidade, aumentando os temores de uma grave crise humanitária.