ONU prepara relatório sobre crimes de guerra da Rússia

ONU prepara relatório sobre crimes de guerra da Rússia

O Comité das Nações Unidas que está a investigar os alegados crimes de guerra cometidos pela Rússia na Ucrânia não quer, para já, falar com certezas quanto aos detalhes ou sobre uma futura acusação formal da Rússia. Para já e até os trabalhos estarem concluídos, prudência é a palavra-chave: "Nesta fase, não estamos em posição de tirar conclusões factuais ou de nos pronunciarmos sobre a determinação legal dos eventos", diz Erik Mose, presidente da comissão.

Nesta fase, não estamos em posição de tirar conclusões factuais.

A informação recolida em locais como Bucha, onde foram descobertas várias valas comuns, levou a Rússia a ser acusada de crimes de guerra e crimes contra a humanidade: "Em relação a Bucha, há provas que podem levar à conclusão que houve violações do direito internacional humanitário e dos direitos humanos. Não há aqui qualquer tipo de hesitação. Apenas temos de ir passo a passo e recolher o máximo de informação que pudermos, ao longo de um certo período", frisa Erik Mose.

O objetivo da comissão é transmitir um primeiro bloco de informações ao Conselho de Direitos Humanos da ONU em setembro. O relatório final deve estar preparado até março do próximo ano. Para isso, vai continuar a recolher provas. Até agora, as autoridades ucranianas dizem ter identificado 15 mil alegados crimes de guerra e descoberto corpos de 12 mil civis em valas comuns.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos