Partidos italianos tentam desbloquear desacordo para presidir Parlamento

Roma, 24 mar (EFE).- Os partidos políticos italianos tentam em várias reuniões neste sábado desbloquear o desacordo que ontem impediu de chegar a um consenso para escolher os presidentes de ambas as câmaras do Parlamento.

Os líderes dos partidos da direita, que nas eleições de 4 de março foram os mais votados reunidos em coalizão, participaram de uma reunião na residência romana do ex-primeiro-ministro e líder de Forza Itália (FI), Silvio Berlusconi.

Além de Berlusconi, estiveram reunidos, segundo veículos de imprensa locais, os líderes da Liga Norte (LN), Matteo Salvini, e dos Irmãos da Itália, Giorgia Meloni, entre outros.

Posteriormente, foi revelado o acordo feito para propor como presidente do Senado a senadora do FI Maria Elisabetta Casellati.

Os dirigentes do Movimento 5 Estrelas (M5S) também se reuniram em um hotel da capital italiana e o líder, Luigi di Maio, manifestou o apoio à candidata da direita.

Além disso, depois de conhecer que os partidos da direita rejeitavam o candidato do M5S à Câmara de Deputados, Riccardo Fraccaro, Di Maio anunciou a retirada deste e a proposta em seu lugar de Roberto Fico, que era o candidato inicial dessa formação.

Além da reunião dos partidos da direita e do M5S, houve nesta manhã outra do Partido Democrata (PD).

Este partido reivindica a presidência da Câmara dos Deputados e a coalizão de direita se tinha mostrado disposta a cedê-la em troca da presidência do Senado.

Na sexta-feira, foram realizadas três votações na Câmara dos Deputados e duas no Senado, e em todas elas não houve consenso, por isso que as negociações continuam hoje.EFE