ONU quer que UE acolha 42 mil refugiados afegãos nos próximos 5 anos

·1 minuto de leitura
Um cidadão afegão exibe um cartaz durante um protesto de imigrantes e solicitantes de asilo para exigir a realocação para outros países, próximo do escritório do Acnur em Jacarta, na Indonésia, em 4 de outubro de 2021 (AFP/ADEK BERRY)

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) solicitou aos países da União Europeia (UE) que recebam 42.500 refugiados afegãos nos próximos cinco anos, anunciou nesta quinta-feira (7) a comissária europeia de Assuntos Internos, a sueca Ylva Johansson.

Johansson falou em um "fórum de alto nível sobre a proteção dos cidadãos afegãos em perigo", que reúne de maneira virtual a maioria dos Estados-membros da UE, o Acnur e a Organização Internacional para as Migrações (OIM), após a tomada do poder no país asiático pelos talibãs.

O alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados, o italiano Filippo Grandi, "considerou que, nos cinco próximos anos, cerca de 85.000 afegãos terão que ser reinstalados" a partir dos países vizinhos do Afeganistão, onde estão refugiados, para outros países, assinalou Johansson em uma coletiva de imprensa.

"E propõe que a União Europeia se encarregue da metade" desses refugiados, acrescentou a comissária europeia. Os países da UE, por sua vez, não anunciaram compromissos durante o fórum.

"Penso que é [uma meta] realizável", opinou Johansson, ao acrescentar que "alguns Estados-membros não podem tomar essa decisão agora, pois estão em plena formação de governo", que é o caso da Alemanha.

Cerca de 22 mil afegãos já foram retirados do país e recebidos em 24 Estados-membros da UE, ressaltou a comissária europeia de Assuntos Internos.

alm/fmi/clr/eg/mb/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos