OPEP+ adianta sua reunião virtual ministerial para sábado

Foto de arquivo de 21 de outubro de 2019, de um pumpjack da empresa Signal Hill Petroleum em frente ao marco Curley's Cafe

A OPEP e seus principais parceiros, inclusive a Rússia, decidiram adiantar para sábado (6) sua reunião por videoconferência, prevista inicialmente para a próxima semana, na que estudarão o acordo assinado em abril para limitar a produção, informou uma fonte próxima à organização nesta sexta-feira (05).

A reunião, na qual participarão os ministros do Petróleo dos 13 países membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e de seus dez aliados fora do cartel (OPEP+), aconteceria em 9 e 10 de junho.

Será realizada virtualmente devido à pandemia de coronavírus.

O preço do petróleo está sob forte pressão devido às restrições decretadas em todo o mundo para conter a propagação da COVID-19. Em um contexto de excesso da oferta, a demanda do petróleo para o transporte ou a indústria está em queda livre desde o início do ano.

Para limitar a queda dos preços e se adaptar à queda do consumo, a OPEP+ decidiu retirar do mercado, de 1o de maio até o final de junho, 9,7 milhões de barris diários (mbd).

Segundo o acordo assinado em 12 de abril, essa medida será suavizada a partir de julho e a redução passará para 7,7 mbd de julho a dezembro.

Na reunião de sábado, será analisado o cenário de um prolongamento do corte drástico de 9,7 mbd além de junho. Mas alcançar a unanimidade que permita essa extensão será complicado.

A Argélia, que atualmente preside a OPEP, propôs adiantar a data da conferência para que as decisões dos produtores de ouro preto se ajustem melhor às transações do mercado de petróleo, de acordo com os analistas.